Três policiais da Carolina do Norte são despedidos por comentários e comportamento racista

polícia

Três policiais do departamento de polícia de Wilmington, Carolina do Norte, foram demitidos depois que um vídeo mostrou um deles fazendo comentários racistas. Charlotte Observer relata que Cpl. Jessie Moorea e os policiais Kevin Piner e Brian Gilmore foram demitidos na terça-feira. Todos os três foram acusados ​​de violar os padrões de conduta do departamento, usando tanto piadas inadequadas quanto calúnias odiosas.



'Quando soube dessas conversas pela primeira vez, fiquei chocado, triste e enojado', disse o chefe de polícia Donny Williams na quarta-feira. 'Não há lugar para esse comportamento em nossa agência ou nossa cidade e não será tolerado.'


Antártica para o jardim de infância

O departamento de polícia conduziu uma auditoria de vídeo e imagens do carro de Piner mostraram ele e Moore fazendo comentários 'extremamente racistas', como revelou o sargento por trás da auditoria de vídeo.

Durante o vídeo, Piner criticou o departamento de polícia e disse que os policiais estavam muito ocupados 'ajoelhando-se com os negros'. Mais tarde, durante o extenso vídeo, Cpl. Moore ligou para Piner e supostamente se referiu a uma mulher negra da polícia como 'um negro'. Mais tarde, ele passou a referir-se a ela por outra calúnia racial, seguida por uma calúnia homofóbica. Os comentários só pioraram, e Piner disse mais tarde acreditar que uma guerra civil está prestes a acontecer.



'Nós vamos sair e começar a abatê-los', disse ele no clipe, depois de explicar que estava procurando comprar uma nova arma de fogo. 'Eu não posso esperar. Deus, mal posso esperar.


animais apanhadores de piolhos

Moore disse que não está de acordo com essa linha de pensamento e chamou Piner'zrazy ', mas Piner dobrou seus pensamentos. Ele acrescentou que uma guerra civil seria necessária para 'varrê-los da porra do mapa', afirma o relatório da polícia. - Isso os fará recuar cerca de quatro ou cinco gerações.

Essa foi a parte da história que me pegou. Esses policiais da Carolina do Norte negaram ser racistas depois de dizer que queriam varrer os negros do mapa e que estão prontos para uma guerra racial que fará os negros recuarem 4 ou 5 gerações https://t.co/YXlWl3xvzV pic.twitter.com/vgpx0445A2

- Mekka Don (@MekkaDonMusic) 25 de junho de 2020



Os policiais envolvidos admitiram que eram suas vozes no clipe, mas também negaram que fossem racistas. Eles alegaram que seus comentários foram resultado do estresse após a morte de George Floyd, que morreu em Minneapolis no mês passado quando o oficial Derek Chauvin manteve o joelho no pescoço de Floyd por mais de oito minutos. Como resultado da rescisão dos cargos dos dirigentes, os casos envolvendo os três serão analisados ​​pelo gabinete do procurador distrital.